20 de jan de 2011

O cara de Dread.

Depois de um dia daqueles, fui dormir.
Claro que um pouco antes fiquei assitindo a 6° temporada de House, já estou no 8° episódio.
uma loucura gente.

Antes de contar meu sonho, tenho que fazer uma observação.
Ontem na noticia vi a respeito de formação de um tornado em santa Catarina aqui no Brasil, com aquilo na cabeça, passei o dia comentando sobre o assunto.
E adivinha o que aconteceu.??

Então vamos lá.

Estava trabalhando em um bar pequena em uma cidade tranquila e deserta. (Deserta até de mais)
e o Bar parecia aqueles dos anos 80.
Limpava o balcão, lavava a louça suja, quando a portinhola rangeu ao abrir. lá vinha a minha mãe vindo me chamar:
-Vamos viajar, deixe tudo ai.
-Mas porque?
-você tem que ter aonde morar quando for para a faculdade.
-Mas eu vou para a faculdade?
-Sim. Você foi intimada para estudar na Universidade Gran de lá sul.
-Oche, nunca ouvi falar dessa faculdade.
-Haaaa, Helora. Você estava esperando a muito tempo para passar e ir para lá estudar. Agora vamos que o carro ainda está ligado.
Deixei tudo para trás. Ao sair pela portinhola vi o luxuoso Cadillac Azul de minha mãe.
Olhei bem para ela:
-Aonde você arranjou um carro desse?
-Comprando Oras. Você não gostou??
-Eu adoreiiiii.
Sentamos no carro e fomos em bora, mas sabia aonde era essa cidadee muito menos ouvido falar dessa faculdade. ao continuar a viagem, paramos na cidade de destino.
Entramos por uma porta branca de madeira, toda quadriculada e com uma maçaneta verde musgo. 
Minha mãe sentou no chão e olhou em volta. Como não entendi, por principios básicos imitei a atitude.
-Porque sentamos??
-Porque aqui é para sentar.
-Ah. Então tá. o que vamos fazer agora?
Fiquei sem resposta. Olhado em volta estavamos sentadas em um tablado de madeira e em volta, havia um rio bem azulzinho.
Distraida com uma paisagem intrigante, ouvi a porte se abrindo. Um cara de cabelos com dread chegou com seua mochila já na mão apoiando no tablado. Sentou e deitou em meu colo.
-O que está fazendo??
-Deitando. Por que?
-Por acaso porque você está apoiado em mim?
-Ha. Isso é consequencia de um ato tomado por iniciativa anterior nesse lugar.
-E o que eu tenho a ver com você estar apoiado no meu colo??
-Ha. fala a verdade. você gosta. Só fique tranquila.
Olhei para  minha mãe e continuei a olhar em volta. De repente percebo uma movimentação muito grande em cima de nossas cabeças. Quando eu olhei, vi um tornado se formando. Mas olhava de um jeito que não dava para acreditar o que estava acontecendo.
-Haaa, quero só ver o que esse tornado faz.
minha mãe olhou pra mim.
-Acho que não faz nada.
-UASHUSH acho que só vou correr quando eu ver uma vaca voando no tornado.
Continuei a observar o rapaz deitado em meu colo. Ele respirou bem fundo.
-Quem é você?
-Por que agora você quer saber?
-Porque quero conversar.
-Humm. Então té. Meu nome é Helora, e o seu?
Não sei o que ele respondeu. porque tudo ficou mudo. Tudo que estava em volta sumiu como fumaça. (Continuo sem entender meu sonho) Do mesmo jeito que sumiu, voltou.
Tudo parecia um outro cenário. esta em cima de uma cama muito grande, paredes cor de salmão, uma escrivaninha em um dos lados, quadro nas paredes e algumas roupas jogadas em um outro lado do quarto, mas com o infeliz deitado no meu colo.
Ele olhando pra  mim tirou uma vara de pesca com uma bolinha vermelha na ponta do fio.
-O que você vai fazer?
-Vou pescar.
-Aqui no quarto?
-Sim.
-Como? você tá louco. vou é sair daqui.
-Não pise ai. Se você sair agora da cama você vai se afogar.
-Porque?
Olhava para o chão e estava como em qualquer outro lugar. Com piso frio de piso branco.
-Veja só.
Colocou a bolinha no chão e do nada foi puxado. E na ponta tinha um peixe pequeno e estranho. cheio de espinhos.
-Nosssssaaaa! que legal.
-Viu só.
-Agora é minha vez. me dáaaa a vara. Vou pegar um grande pra gente comer.
Peguei e coloquei a bolinha no chão. A bolinha foi rolando em baixo da cama e puxouuu muito. ele arregalou os olhos pra mim e me ajudou a puxar.
O peixe era gigante. (Tá, não tão grande assim.)
-Como você conseguiu?
-Ha!!
Fiquei toda me gabando.
-Só imaginei ele puxando e como ele seria. e ele está aqui agora.
-Nossa! que incrivel.
Sorri e me senti super orgulhosa. Dei a vara para ele e peguei um livro que estava no canto da cama. Ao abrir, ele folheou sozinho, e parou em uma página que brilhava. Aquele brilho era tão forte que eu comprimi meus olhos para não cegar. sentindo uma grande força me puxando para mais perto do livro, foi quando entrei nele, pelo medo fechei meus olhos.
Sei que quando eu abri meus olhos novamente estava toda jogada na cama com o sol batendo na minha cara.



UHASUHASUAHSUh
FIM \o\
até a proxima =D

Nenhum comentário: