30 de jun de 2012

Devolve a catraca.

Estava em uma loja, onde era bem estreita e com muitas roupas penduradas. Um senhor passou por mim e falou baixinho:
-Quero, quero, quero, banheiro, banheiro.
Com seus cabelos grisalhos, pele com algumas manchas e pintas, Vestido com um moleton marrom claro.
-Vem comigo senhor.
-Ah Claro...
Afastava as roupas da frente, para dar espaço, era mita coisa no caminho amontoada.
Chegamos em uma porta de vidro com algumas escritas estranhas, mas tinha o desenho de um homem na placa.
Abri a porta com gentileza, o senhor entrou e assim fechei. A dona da loja veio gritando e me chamando a atenção.
-Você acha que é o que? Só porque você está usando esse chapéu de palha grande e quer ser educada? Você não vai me enganar desse jeito.
-Como assim?
-Não se abre a porta para um homem e muito menos ficar dentro do banheiro com ele.
-Eu não entrei. Estou aqui fora. Não está vendo?
-Olha o respeito menina.
Me puxando pelo braço ela me levou para um corredor enorme.
-Já volto aqui. Vá até o banheiro e volte.
-Mas...
-Mas nada. Vá.
Começei a andar pelo corredor. Um corredor todo branco e cheio de salas de vidro. Todas as salas estavam tendo reuniões de empresas importântes.
Ao final desse corredor havia um salão. O salão era dividido por uma grade preta e alta. Um dos lados com uma roleta normal em frente de uma porta e do outro lado uma roleta de lado.
Na porta direita tinha o desenho de banheiro de mulher.
Passei a roleta e quando eu ia abrir a porta, alguém me puxou com força para trás, fazendo eu perder o equilibrio e quase cai.
-Outra roleta por favor.
-Mas o banheiro é aqui.
-Não pra você.
-Como assim?
-Apenas passe.
Me deixou em frente a roleta de lado. Olhei para trás e não havia mais ninguém, sequer vi o rosto ou como estava vestido.
Ao tentar passar pela roleta, tive que pular igual corda. Foi uma coisa dificel de entender. E asim já na metade do caminho para a porta, eu quase cai novamente, porque uma parte da roleta estava presa no meu pé. Uma fila se formou e todos começaram a gritar do outro lado da grade:
-Eiiii, devolva a catraca.
-Mocinha! Quero passar também...
-Ééééé
Todos gritando em coro. A peça voltou para o lugar como um imã.
Abri a porta e o sol surgil em minha frente. Fazendo me despertar.

Bom dia =D

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
decerto que virei aqui mais vezes.
Sou António Batalha.
Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.